Image

A Escola

ESCOLA PARA PAIS OFERECE ORIENTAÇÕES PARA EDUCAR CRIANÇAS

 

Na visão de Valdete Pasini, criadora da Escola para Pais, em atuação desde maio do ano passado e que já atendeu 250 famílias, os pais já conseguem educar os filhos sem as palmadas, mas se deparam com o desafio de orientar sem gritos e castigos.

“Eles gritam muito para não bater e colocam os filhos no cantinho do pensamento. Mas sobre o que a criança vai pensar? Mostramos que os pais têm de estar juntos para ajudar o filho a construir o pensamento. Costumo fazer os encontros em escolas públicas e particulares com grupos de 25 pais e mães. Nesses encontros, eles interagem o tempo todo, mostram o que está acontecendo, falo sobre o tema, abro o debate para a roda e fazemos dinâmicas.” Também existe a possibilidade de atendimento personalizado por Skype ou WhatsApp.

Reflexões

“Se um adulto fizesse isso, você o repreenderia dessa forma?”. Essa é uma das reflexões que fazem parte do repertório da administradora financeira Luana Pinheiro, de 34 anos, que participou de um desses encontros voltados para pais na escola dos filhos. Mãe de Samuel, de 4 anos, Benjamin, de 3, e Lavínia, de 1 ano, ela diz que as rodas de conversa não a fazem só pensar em como criar os filhos, mas a compreender o universo deles.

“Eu me lembrei de como era quando eu era criança, de momentos gostosos com a minha mãe e até mudei a disposição do quarto deles, porque eu gostava de brincar no quarto quando era criança. Não imaginava que educar um filho era tão desafiador.”

A professora de Educação Física Priscila Fonseca, de 33 anos, já buscava referências em livros e blogs, mas gostou da experiência de receber orientações de profissionais e trocar informações com outros pais.

“Estamos acostumados a uma criação mais autoritária. Com essa quantidade de informação que está pipocando em diversas plataformas, a forma de educar do passado não funciona com as crianças de hoje. Temos de recorrer a alternativas novas.”

Priscila participou de rodas de conversa na escola da filha Ana, que tem 3 anos, e a presença de pais dos amigos da criança foi algo que ela achou interessante. “Achei maravilhoso, porque esse projeto fala sobre criação com apego, a disciplina positiva, sobre criar os filhos com mais empatia, mais respeito. Eles são crianças, mas já são seres humanos com vontades e desejos. E os pais dos amigos da minha filha estão tendo a oportunidade de conhecer isso também.”

 

 

NÃO HÁ COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO