Bem estar

Além da fala

Incrível a ideia desse blog e estou adorando participar. São inúmeras as dúvidas que surgem nessa jornada de sermos pais e a troca de conhecimentos e experiências é uma forma de aplacar, um pouco, alguns medos e angústias.

Acompanhar o desenvolvimento de uma criança é se surpreender a cada dia. É incrível como um ser tão pequeno pode nos ensinar tantas coisas e tantos sentimentos.

Ouvi outro dia uma explicação muito interessante sobre a palavra “desenvolvimento”. Essa pessoa falava que a criança nasce envolvida na família e com o passar do tempo ela vai se desenvolvendo desse meio em direção ao mundo. Achei ótima essa explicação. Como não tinha pensado nisso antes?!

Como é difícil imaginar que nossos filhos logo estarão completamente desenvolvidos, desenvencilhados do nosso cuidado e proteção.

Pois é… Assim é a vida, então vamos fazer o máximo para que se desenvolvam da melhor forma possível.

O primeiro passo desse longo desenvolvimento é a construção da linguagem, que acontece, primordialmente, nos dois primeiros anos de vida. A criança fala as primeiras palavras por volta dos 12 meses de idade, porém, todo um processo de preparação para o grande momento da primeira palavra começa desde o nascimento. Algumas pessoas, quando estão conversando com um bebê, acreditam que para serem compreendidos por aquele ser precisam falar uma espécie de ‘bebenhês’. Não, por favor! A criança aprende por imitação, lembrem­ se sempre disso!

Fale com a criança de forma natural, não há necessidade de infantilizar ou afinar a voz, evite o uso de diminutivo e nunca em hipótese alguma troque os sons das letras. Quando falamos com uma criança colocamos mais carinho na voz, a entonação se modifica, e isso é natural. Procure conversar com a criança sempre olhando para ela, permita que ela veja sua boca, então ela vai observar os movimentos e tentar imitar. Faça sempre de forma natural, não reduza a velocidade normal da sua fala e nem tente ensinar os sons. Incentive qualquer tentativa de conversa, mesmo os balbucios, pois é por onde a criança começa. Se mostre feliz em conversar com ela, e torne esses momentos importantes, não tenha pressa, deixe que a criança conclua sua fala, não interrompa ou tente completar a palavra, e muito importante, quando ela errar não repita o erro, repita de forma correta, SEM COBRANÇA.

Estamos sempre dispostos a atender a menor necessidade da criança, mas não aceite apenas gestos, a criança precisa saber que é importante ser entendido e a fala é o melhor caminho. Se ao menor gesto ela for atendida, não sentirá necessidade de se expressar oralmente. Aproveite as situações cotidianas, quanto maior exposição à linguagem, melhor será seu desenvolvimento. Aproveite a hora do banho, a troca de roupa e outros momentos. Fale o que está fazendo e vá nomeando as coisas ­ sempre com naturalidade.

Brinquem muito, cantem música, contem histórias, e, principalmente, amem muito e aproveitem ao máximo todos os momentos, pois o desenvolvimento é inevitável!!

Ana Clara

 

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE DE

2 Comentários

  • Responder
    Avatar
    Valdete Pasini Diz:

    setembro 23, 2018 at 02:22 pm

    Pergunta feita pela pagina do face:

    @nem_anderson

    Muito interessante o artigo da Ana Clara! Mas tenho uma dúvida…meu filho fez dois anos e não fala muitas palavras. Isso é normal ou já é preciso levar a um Fonoaudiólogo?! Obrigado e mais uma vez parabéns pelo artigo da fala!!!

    resposta da Ana Clara!

    Olá nem_anderson!
    Com 2 anos de idade esperamos que a criança tenha um vocabulário de cerca 200 palavras. Consideramos 1 palavra mesmo que não esteja correta ou faltando sílabas. Nessa fase a criança está iniciando a construção de frases, combinando duas ou até três palavras, sem uso adequado de flexão verbal ou nominal, exemplo: “ meu bola” para “ minha bola”.
    Agora se deve procurar um especialista, difícil te dizer apenas com essas informações. Mas observe seu filho, converse com o pediatra, fale sobre suas dúvidas, normalmente quando os pais acham que algo está errado, realmente tem! Espero ter ajudado e qualquer coisa estamos a disposição.
    Logo estarei postando um artigo sobre orientação de estimulação de linguagem.
    Obrigada
    Ana Clara

  • Responder
    Avatar
    Valdete Pasini Diz:

    setembro 23, 2018 at 05:01 pm

    Ana! que delicia ler este artigo! Amei! Que bom seria se todos que lidam com bebês soubessem de tudo isto! Digo soubessem, pois as mamães, papais, avós e titias, pensam que falando errado, dando nomes para certas coisas, estão expressando mais carinho! E na verdade não! Como você diz, o carinho esta no tom da voz , na alegria que você mostra pra ele no momento da conversa!
    Parabéns! muito bom!

DEIXE UM COMENTÁRIO